Monitoria 2018 (0)

Projeto de Monitoria

Neste mês teve início o  “Projeto de Monitoria” para grupos interessados nas seguintes disciplinas: matemática, física, química e português. Os alunos que se destacam em alguma dessas disciplinas, podem se disponibilizam em auxiliar os colegas. Essa é uma forma de praticar o estudo compartilhado, possibilitando conhecimento e a socialização entre os alunos.


7.º ano Matemática Sinal Igual (0)

O sinal de igual (=)

O professor Anderson Alves utilizou a balança de duas pás para que fosse possível desmistificar a ideia de que o sinal de igual (=) é utilizado apenas para dar o valor numérico resultante de uma expressão qualquer, por exemplo:

2 + 3 = 5

1 – 9 = – 8

É possível utilizar  esse sinal matemático como recurso simbólico para uma simples afirmação, tal como dada anteriormente.

Por meio da balança de duas pás, a discussão sobre equivalência, dentro do tema “Equações e Inequações” serviu como recurso necessário e satisfatório.


Basquete Sertaozinho (1)

JEESP

Alunos representam o colégio no JEESP – Jogos Escolares do Estado de São Paulo, na cidade de Sertãozinho. O professor Paulo acompanhou o time de alunos na modalidade de basquete masculino.


Basquete Sertaozinho (3)

 

Ambiente Vila Verde (1)

Nossa História

Em 2011 o Centro Educacional Vila Verde iniciou suas atividades atendendo de forma ampla e bem estruturada alunos para o Ensino Médio.
 
No ano de 2015 foi a vez de receber alunos para o Ensino Fundamental. Com isso, os espaços do colégio foram envolvidos por cores, brincadeiras e ainda mais dinamismo e profissionalismo.
 
Agora o ambiente está, mais uma vez, sendo adaptado para, em breve, ser o palco de projetos mais ousados. Aguardem!

4.º ano Livro Paradidático 3º Bimestre (0)

No olho da rua

Neste 3.º bimestre, o livro paradidático para a turma do 4.º ano foi escrito pela escritora fluminense Georgina Martins. “No olho da rua, historinhas quase tristes” nos apresenta cinco histórias que falam de crianças de rua. Narradas de forma descontraída, são histórias engraçadas, tristes ou quase tristes, mas todas emocionantes, que atraem nossa atenção para essa realidade brasileira, fazendo desarmar o preconceito e despertar a solidariedade.

A obra recebeu 1.º lugar no Prêmio Carioquinha de Literatura Infantil, da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro e Menção Honrosa no Prêmio Adolfo Aizen de Literatura Infantil da União Brasileira de Escritores, em setembro de 2000.


Momento Leitura

Da Minha Terra

Paródia produzida pela aluna Daniella do 9.º ano nas aulas de Técnica de Redação, sob a orientação do professor Flávio Santos.

 

DA MINHA TERRA

Minha terra tem caqui

Onde canta o tupi

Do rio das cobras: Moji*

Eu nasci.

*

Andei pouco por lá

Mas aprendi muito naquele lugar

Um dia, gostaria de voltar

Para visitar tudo por lá.

*

Lembranças estão comigo

Em todo lugar

São Paulo, Santos, Praia Grande

Nenhum melhor do que o lar.

*

Sinto saudade, muita,

Mesmo estando aqui

Ainda me vejo por lá

Um dia, irei retornar.

*

Não permita Deus que eu morra

Sem que eu volte para lá

Minha terra tem caqui

Onde canta o tupi

Do rio das cobras: Moji

Eu nasci.

*

Mais prazer eu encontro lá

Então, não permita Deus que eu morra

Sem que eu retorne para o lar

Para o meu lugar.


*Moji (com “j”) significa rio das cobras, foi empregado intencionalmente para dar a ideia do início da cidade com seu primeiro nome que veio do tupi-guarani, de origem, algo mais para o lado histórico e étnico.