4.º ano A sereiazinha (0)

A sereiazinha

Alunos do 4.º ano fazem leitura do livro paradidático do 4.º bimestre, escrito por Mary França e Eliardo França.

“Ao completar 15 anos, a sereiazinha pôde subir à superfície do mar para conhecer o mundo. Nesse dia, o navio em que o príncipe navegava naufragou e ela o salvou, levando-o para uma praia próxima a um convento. Escondeu-se e então ficou observando o que iria acontecer.”


1.º ano texto instrucional (0)

Texto de Instrução

Durante aula de língua portuguesa, alunos do 1.º ano realizam atividade prática usando o gênero textual de instrução. Após a leitura das imagens que compunham o texto, foi possível criar massinha caseira.


Momento de Leitura 3

Aquele Lugar

Paródia produzida pela aluna Isabella do 9.º ano nas aulas de Técnica de Redação, sob a orientação do professor Flávio Santos.

 

AQUELE LUGAR

 

Minha terra tem palmeiras

muitos cocos brotam lá

Os pássaros que aqui gorjeiam

são caçados, que dó dá.

 

Nosso céu azul verão

Nossas flores, onde estão?

nossa praia tão imensa

Nossa vida muitas dores.

 

Em pensar, sozinha, sobre a vida

Queria muito me adequar

minha terra se orgulha de suas palmeiras

mas por onde anda o Sabiá?

 

Minha terra tem perigo

no qual não queria encontrar

Em andar, sozinha, à noite

queria o medo lá não estivesse.

Minha terra é bonita

porém não fácil de agradar.

 

Não permita Deus que eu morra

sem que mude aquele lugar

sem que, finalmente, entenda

por que desejo estar lá

perto de minhas palmeiras

com o Sabiá.

4.º ano 14Bis (0)

14 Bis

Como atividade complementar, após estudar a biografia de Alberto Santos Dumont e de pesquisar sobre alguns outros inventores e suas invenções, cada grupo de alunos do 4.º ano, construiu uma aeronave e trabalhou as estratégias para fazer com que ela saísse levemente do chão com a ajuda de um imã, relembrando o 14-bis de Santos Dumont.


Momento Leitura 2

Sintonia do Mar

Haicai produzido pela aluna Bruna do 8.º ano nas aulas de Técnica de Redação, sob a orientação do professor Flávio Santos.

SINTONIA DO MAR

Sinto as ondas do mar a me balançar.

E no seu balanço:

Chuá, chuá.